POLÊMICA NAS REDES

Preços altos? Entidades de Gramado e região emitem carta aberta sobre valores praticados em estabelecimentos

Contur Hortênsias e Abrasel reiteram que há opções para todos os gostos e bolsos na região

Publicado em: 12/04/2024 09:32
Última atualização: 13/04/2024 14:41

Comentários e vídeos em redes sociais nos últimos meses têm trazido à tona uma discussão sobre os preços praticados em restaurantes, hotéis e atrativos turísticos de Gramado. Conforme opiniões deixadas em postagens, tanto de veículos de comunicação, quanto influenciadores, uma das razões para o turista se afastar da cidade seria em virtude dos altos valores cobrados.

Centro de Gramado possui diversas opções gastronômicas Foto: Fernanda Fauth/GES-Especial

Com a ida de representantes do Executivo municipal até Brasília, para se reunir com a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), para buscar medidas que baixem os valores das passagens aéreas, o assunto voltou a ser debatido. 

Entidades da região emitiram uma carta aberta sobre o assunto. Uma delas foi o Conselho de Turismo da Região das Hortênsias (Contur Hortênsias), que teve a posição assinada pelas cinco prefeituras, além do Sindtur Serra Gaúcha, Visão, Sindilojas, Gramado Canela Convention e Bureau, CDL, Apasg, Acinp, Acic, ACI e Abrasel. 

O comunicado inicia sobre o momento. "Estamos em meio ao Gramado Summit, evento que reúne 15 mil pessoas em Gramado e Região das Hortênsias. Público que além de ampliar seu conhecimento e networking, também desfrutam das experiências que a região proporciona, uma diversidade turística ímpar no Brasil", diz. 

As entidades públicas reiteram que "o turismo é uma forma de organização econômica e social que envolve mais de 50 setores da economia e é trabalhado há mais de 50 anos na Região das Hortênsias, protagonizado por Gramado. Milhares de pessoas e empresas da região dependem dessa roda girando de forma consistente, seja por meio do turismo de negócios, seja por meio do turismo de lazer. Parques, gastronomia e hotelaria estão disponíveis o ano todo, seja em alta temporada, seja em baixa temporada, isso significa que concentram muitos esforços em planejamento, administração e execução de operações".

Em relação aos valores, reitera a força do segmento turístico no atendimento. "Só na Região das Hortênsias conseguimos atender, ao mesmo tempo, 32 mil pessoas na hotelaria, 44 mil na gastronomia e 50 mil nos parques e demais atrativos, conforme estudo feito pelo Sindtur. São opções para todos os perfis, sejam casais, amigos, famílias pequenas, famílias grandes, com ou sem pets, entre outros. O cuidado com a diversidade está muito presente na gestão do turismo na região. Tão importante quanto são as opções para todos os gostos e bolsos", afirmam.

A carta continua explicando que a cidade vive um momento de ressignificação e necessidade de inovação. A justificativa seria a mudança no perfil do mercado turístico. "A economia brasileira está fragilizada, as passagens aéreas mais caras e o turismo passou a fazer parte da economia de centenas de cidades no País aumentando a concorrência", diz.

Ainda colocam sobre outros desafios que são vivenciados nos municípios daqui. "Da mesma forma, foram criados novos atrativos, hotéis e restaurantes na região, a mão de obra está mais escassa, as intempéries climáticas afetaram diretamente nossa região impactando há mais de sete meses o fluxo turístico, e, mesmo assim o trade turístico está com a cabeça erguida para seguir em frente, pelo propósito de bem acolher o turista", comentam. 

A proposta, ainda, é de abertura de diálogo entre os diferentes segmentos da sociedade, para trazer soluções aos problemas. "Então este momento de ressignificação carece de apoio, de incentivo e não de crítica – que desconstrói uma imagem que vem sendo trabalhada diariamente por milhares de funcionários, empreendedores e lideranças há mais de 50 anos. O momento é de apoio, de união de esforços e de valorização do que o destino oferece", finalizam. 

Nota nas redes sociais

A Abrasel também emitiu uma nota própria em suas redes sociais e ofertou sua opinião sobre os valores em restaurantes e estabelecimentos gastronômicos. 

"Quando um prato é servido em um restaurante ali está sendo servido também infraestrutura, inovação, investimento em educação, segurança, cuidados com a cidade como limpeza, organização e qualidade de vida", aponta no comunicado o presidente da associação, Marcelo Wazlawick.

Ele afirma que "não é fácil oferecer tudo isso sem que se tenham preços também condizentes. Mas, cabe lembrar que em todas as cidades listadas, inclusive Gramado, temos opções de pratos par todos os bolsos. De hambúrgueres e buffet a quilo a restaurantes de alta gastronomia, a gastronomia em Gramado, e na Região das Hortênsias é ampla, diversa e criativa".

A entidade ainda faz uma compensação com Paris, na França "A Abrasel e seu presidente, Marcelo Wazlawick, acham injusto dizer que neste ou naquele lugar a gastronomia é cara. Há, sim, restaurantes e pratos com valores elevados, mas há também liberdade de escolha para buscar outras tantas opções que não são.  Você pode em Paris provar um restaurante com estrela Michelin e pode comer um crepe ao pé da Torre Eiffel. Ambas serão experiências memoráveis e tradicionais, porém com preços completamente diferentes", conclui. 

Gostou desta matéria? Compartilhe!
Matérias Relacionadas
(function () { window.onload = function () { new BlipChat() .withAppKey('cm91dGVyZ2Vzd2hhdHNhcHA6NGI2NzliN2UtNTNmNC00NTkxLWIwYjctYmM5ZWUxZDJlYThh') .withButton({"color":"#556680","icon":""}) .withCustomCommonUrl('https://grupo-sinos.chat.blip.ai/') .build(); } })();